Aparência x Essência – Évelin Manzano

Compartilhe:

Évelin Manzano

Beleza é algo que a mídia e a sociedade tentou e tenta padronizar; mas, na verdade, não existe o padrão do belo. O conceito sobre o belo é subjetivo, o que é lindo para um pode ser feio para outro.

A diferença é o que torna cada indivíduo único. A sociedade está presa às aparências ditadas pela mídia. A maioria vive aprisionada aos padrões que ela impõe: se ser loira é lindo, vou virar loira: ser magra é lindo, vou fazer regimes que até podem prejudicar a saúde, mas é mais importante ser magra; se a pele não é considerada perfeita, por uma ou outra marquinha, busca-se então passar no rosto verdadeira “massa corrida” em forma de maquiagem, na tentativa de satisfazer padrões. Com isso todos vão perdendo a própria característica e identidade e acabam iguais.

O diferente atrai muitos olhares, chama atenção, suscita comentários. Exemplo disso é a história da dançarina canadense Cassandra Naud, que nasceu com uma mancha escura, logo abaixo de seu olho esquerdo.

Tal marca cobre toda a região da bochecha e nessa mancha crescem pelos, motivo pelo qual ela sofreu bullying durante boa parte de sua infância e adolescência. Seu diferencial incomodou os preconceituosos, que esperam a uniformidade padrão, que é inexistente entre as pessoas. Cassandra quando adquiriu maturidade, resolveu se libertar e se assumir como é. Hoje serve de exemplo, de inspiração, pois se recusa a se submeter aos padrões de beleza. Ela acredita que sua marca a deixa bonita e única à sua forma.

Há de se lamentar as atitudes dos preconceituosos que carregam sobre os próprios ombros um problema que criaram para si mesmos. Eles ficam presos a modelos, padrões estéticos e lamentavelmente se esquecem da verdadeira essência do ser humano.

Compartilhe:

Conversas

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *