Intercâmbio: primeiros passos para planejar

Compartilhe:

No segundo post da série intercâmbio, publicamos dicas quentes dos alunos Michele Yamawaka, intercambista na Universidad Mayor , Chile e Daniel Amado, que está na Pittsburg State University, EUA.

Segundo os alunos, o primeiro passo para um intercâmbio é o planejamento: escolher a opção adequada conforme o interesse, curso e aptidões; pesquisar as instituições parceiras da Universidade; colher todas as informações possíveis da ARNI (Assessoria de Relações Nacionais e Internacionais) da Uniso. Estas são algumas das dicas iniciais para quem pensa em estudar fora, mas tem muito mais, dizem os intercambistas. Confira!

intercambio-alunos-da-uniso-1

Antes de partir

Na opinião de Michele, é importante dedicar tempo na organização do intercâmbio precisa de um bom tempo de preparo. É preciso definir o que se quer fazer (estudar e trabalhar), pesquisar sobre os países de acordo com o idioma escolhido e considerar a distância do país de origem. “Depois de tudo definido, planeje tirar o visto com antecedência, porque sabemos que é uma parte complicada e demorada. Com os papeis em mãos, é só comprar a passagem e fazer a reserva onde pretende ficar alojado”.

intercambio-alunos-da-uniso-10

The book is on…

Para Daniel, a língua do país destino não pode ser um problema. “Tenha certeza do que está fazendo e de que consegue falar o idioma do país para qual está indo, ou de que terá alguém com você que domina o idioma e que está disposto a te ajudar. Isso faz muita diferença”.

Dar um Google não basta

Michele diz que quanto mais detalhes obtiver do país em que irá estudar, melhor. Pesquisar o máximo possível sobre o seu intercâmbio ajuda muito a se preparar para a partida. Para ela, é preciso “planejar mentalmente, não entrar em desespero antes da hora e ter em mente que vai ser uma realização maravilhosa e uma oportunidade muito boa de conhecer a fundo o país escolhido”.

Santo de casa faz milagre sim

Para os intercambistas, se o objetivo do aluno for estudar uma nova língua, existem muitas agências que ajudam ao indicar escolas e alojamentos fora do país. Dentro da faculdade, o aluno pode procurar a ARNI para se informar sobre bolsas e convênios com outras universidades, preços, cursos e proficiência exigida do idioma.

“No meu caso, a ARNI me ajudou a escolher a faculdade e consequentemente o país, a fazer a matrícula na universidade, a enviar os papeis para o visto e me colocou em contato com outras pessoas que já estavam lá para tirar dúvidas e dar dicas”.

intercambio-alunos-da-uniso-4

Dá um “help” aí!

“A melhor dica que posso te dar é encontrar alguém que mora no local para te ajudar. Algo que eu diga hoje pode mudar no mês seguinte. As melhores pessoas para te dar apoio são as do corpo docente e os próprios alunos que estão no local para qual está indo”, conta Daniel.

 

Money, la plata

Planejar a questão financeira é fundamental. A própria universidade pode dar orientações relevantes, encurtar caminhos, dar dicas sobre onde se hospedar, além de auxílio para encontrar uma “host family”.

 

intercambio-alunos-da-uniso-9

 

Antes de fazer as malas

Hora de se preparar para a viagem. Pesquise com o maior cuidado, cheque as rotas, dias da semana em que a passagem é mais barata e confirme qual limite de peso que pode carregar nas bagagens. Deixe aqueles que vão te receber a par da sua localização para que, caso ocorra algum problema, estejam preparados para lhe ajudar. “Por fim, abrace todo mundo que conhece, pois você sentirá muita saudade de todo mundo”, avisa Daniel.

Compartilhe:

Conversas

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *